Artigos

Era para ser uma reunião comum, se não fosse o fato de durante tanto tempo sufocarem os seus sentimentos. Deixaram passar, não deram importância, até quando não foi mais possível segurar. E foi uma avalanche de emoções afogadas e necessidades não resolvidas. Não se entendiam, não se ouviam, só gritavam e já não era possível naquele instante uma escuta com qualidade. Foi necessária a catarse para só então prosseguir com a possibilidade de uma intervenção que pudesse colaborar para um diálogo assertivo. Como Mediadora apoiei com um acolhimento, uma observação atenta, investigando as motivações, sem julgamento e respeitando o tempo de cada um. Isso faz sentido para você? Já vivenciou uma situação com essa ? Eu já, como eles. E como teria sido maravilhoso a intervenção de um terceiro! Vamos falar mais sobre isso?

Os artigos mais lidos

Como proteger os filhos na separacao do casamento?

Como proteger os filhos na separacao do casamento?

As crianças sofrem muito mais em um casamento onde não há mais diálogo e respeito do que viver em ma...

Saiba mais
Vamos falar sobre seu futuro?

Vamos falar sobre seu futuro?

Se você deseja se destacar e criar valor para sua marca e maior competência profissional, precisa co...

Saiba mais
Quando foi a última vez que você exerceu seu amor-próprio?

Quando foi a última vez que você exerceu seu amor-próprio?

Na busca desesperada de viver um grande amor nos perdemos e acabamos convivendo com máscaras, sem au...

Saiba mais